Hipopigmentação: o que é?

O vitiligo é uma doença rara em que há destruição dos melanócitos, células que dão cor à pele e à pelagem. Os patudos que sofrem desta doença apresentam despigmentação, ou seja, perda da pigmentação natural da pele e do pelo, que adquire, geralmente, a cor branca ou rosa claro.

Quais as principais causas do vitiligo?

Ainda não se conhece quais são as causas exatas da ocorrência do vitiligo no cão, contudo, está provado que é uma doença hereditária, por isso, patudos que sofram desta patologia não devem ser utilizados como reprodutores. É importante referir que esta doença não é contagiosa.

Quais os principais sintomas do vitiligo?

Como referido acima, os principais sintomas do vitiligo são a despigmentação da pele e do pelo, que ocorre mais frequente, na face e no nariz, podendo ainda afetar, unhas e almofadinhas plantares. As lesões são habitualmente simétricas. As raças mais predispostas a esta patologia são Rottweilers, Doberman pinschers, Collies e Schnauzers Gigantes.

Como se pode diagnosticar?

O diagnóstico é baseado na história clinica e no exame físico realizado pelo médico veterinário. Para se obter um diagnóstico definitivo, é necessária a realização de uma biopsia de pele, e respetivo exame histopatológico. Está também indicada a realização de análises sanguíneas para despistar outras doenças.

Há algum tratamento possível?

O vitiligo é uma doença apenas estética, e, de certeza, que o seu patudo só vai ficar (ainda!) mais especial com umas manchinhas brancas. Não estão descritos tratamentos eficazes, no entanto, é importante a utilização de proteção solar nas zonas de pele despigmentadas, para que não ocorram dermatites secundárias aos ultra-violetas.

 

Sara Alves

Médica Veterinária de Animais de Companhia

Published by Sara Alves

Experiência Mestrado Integrado em Medicina Veterinária na UTAD, Vila Real. Realizou estágios em Portugal e nos EUA, e conta com 5 anos de experiência em Clínica de Animais de Companhia. Pós graduação em Medicina Interna e em Dermatologia, que são as suas áreas clinicas de especial interesse. A minha relação com cães Como dogperson convicta que sou, é para mim um privilégio contactar com cães de toda a forma e feitio, no meu dia-à-dia. São animais fiéis e lutadores, que me mostram que vale a pena olhar para a vida de uma forma positiva. A minha mais recente paixão chama-se Benjamim, é um cão sénior que me acompanha para todo o lado, o verdadeiro cãopanheiro.

Leave a comment