A seleção genética permitiu selecionar e realçar as características físicas típicas de cada raça. Ao longo dos anos têm-se trabalhado em apurar muitas delas, contudo com a seleção genética surgiram também um conjunto de patologias associadas a cada raça:

  • Basset Hound: Dada a sua conformação, o aparecimento de otites, entropion e ectropion (má conformação das pálpebras inferiores) são bastante frequentes. A raça está também predisposta ao aparecimento de seborreia primária (descamação da pele), pododermatites (inflamações da pele na zona interdigital), patologia cardíaca (defeito do septo ventricular) e formação de cálculos nas vias urinárias (urólitos de cistina);
  • Beagle: Patologias da coluna (doenças do disco intervertebral) e uma patologia específica que afeta o rim (amiloidose renal) estão descritas;
  • Boston Terrier: Apresentam tipicamente problemas de pele (dermatite atópica e melanoma são os mais frequentes). Está descrita nos Terrier em geral uma alteração genética capaz de provocar luxação anterior do cristalino primária (condição oftalmológica em que há alteração na posição da lente ocular);
  • Boxer: Cardiomiopatia dilatada e efusão pericárdica são dois problemas cardíacos que acometem cães adultos desta raça. Estão predispostos a desenvolver tumores de vários tipos: tumores cerebrais, insulinomas, histiocitomas cutâneos e mastocitomas são os mais reportados. Alergia alimentar, colite idiopática crónica (inflamação intestinal) e doenças do disco intervertebral (que cursam com alterações neurológicas e na marcha) são também muito comuns;
  • Bulldog Francês: Por terem uma conformação braquicefálica, manifestam quase sempre problemas respiratórios (o denominado síndrome braquicefálico, que comporta problemas como o alongamento do palato mole e a estenose das narinas – impossibilita a correta inspiração e entrada de ar). A dermatite atópica é também uma condição muito frequente. Flatulência devido a alterações no trato gastrointestinal são reportadas pela maioria dos donos de cães desta raça;
  • Bulldog Inglês: Tal como o Bulldog Francês, também o Bulldog Inglês apresenta problemas respiratórios graças à conformação braquicefálica. O acasalamento por monta natural é difícil, pelo que a inseminação artificial está recomendada;
  • Caniche: Aptidão genética para o desenvolvimento de cataratas. É uma das raças predisposta ao desenvolvimento de degeneração das válvulas cardíacas em idades geriátricas;
  • Cavalier King Charles: Problemas cardíacos, nomeadamente endocardiose valvular, são muito frequentes. Queratoconjuntivite seca, distiquíase e cataratas (condições oftalmológicas) estão também descritas;
  • Chihuahua: Predispostos a alterações cardíacas congénitas (animais nascem com o problema), sendo a mais frequente o ducto arterioso persistente (resolve-se cirurgicamente). Os machos estão predispostos ao criptorquidismo (posição anormal do testículo) e aos tumores testiculares. Alterações a nível cranial e cervical são frequentes, nomeadamente o aparecimento de patologias como a subluxação atlanto-axial e a hidrocefalia, que podem provocar sinais neurológicos. A raça possui também alterações genéticas que predispõem ao aparecimento de patologias oculares (glaucoma e luxação do cristalino);
  • Chow Chow: Caracterizada por ter a língua azul, está predisposta ao desenvolvimento de doenças como: hipotiroidismo, neoplasias (linfossarcoma e melanoma) e patologias oculares (glaucoma, entropion e ectropion);
  • Cocker Spaniel: Graças à conformação do pavilhão auricular e ao comprimento das orelhas, o aparecimento de otites é muito frequente. Problemas de pele, principalmente seborreia e pododermatites, ocorrem frequentemente. A atrofia progressiva da retina é comum, podendo culminar em cegueira.
  • Dálmata: Devido à falta de uma enzima, estão predispostos à formação de cálculos de urato no sistema urinário. Doença do disco intervertebral e problemas dermatológicos, mais comumente a atopia e a dermatite por exposição solar, são também frequentes;
  • Dobermann: Esta é a raça mais predisposta ao desenvolvimento de uma patologia cardíaca que faz com que as câmaras cardíacas se dilatem  – cardiomiopatia dilatada. Dado serem cães grandes de peito profundo, a torção gástrica é uma patologia também frequente. Estão predispostos ao aparecimento de tumores como o melanoma e o histiocitoma cutâneo. Síndrome de Wobbler (patologia neurológica que afeta as vértebras) está particularmente descrita nesta raça;
  • Labrador: São frequentes patologias cardíacas congénitas e idiopáticas (displasia tricúspide, ducto arterioso persistente e efusão pericárdica). É típico dos labradores apresentarem alergias e problemas de pele, mais especificamente dermatite atópica. A despigmentação nasal é comum em Labrador de pelo branco. Estão predispostos a apresentar alterações hereditárias que levam ao aparecimento de displasia da anca. Patologias oftalmológicas de caráter genético, como as cataratas e o glaucoma primário, estão igualmente descritas;
  • Pastor Alemão: A displasia da anca e do cotovelo são muito frequentes, resultando de alterações genéticas hereditárias. A torção gástrica é muito provável graças à conformação destes cães. Infeções e alergias de pele, alergias alimentares e insuficiência pancreática exócrina são patologias típicas, e que se manifestam desde a idade jovem. Discoespondilite e mielopatia degenerativa são duas condições neurológicas características dos Pastores Alemães – podem provocar paralisia dos membros. Está descrita uma patologia oftalmológica de raça – queratite superficial crónica (Pannus) – em que ocorre fotossensibilidade e os animais necessitam de utilizar óculos de sol, para além de medicação tópica ocular;
  • Staffordshire Terrier: Dada a conformação dos membros, são suscetíveis à rutura do ligamento cruzado (ligamento do joelho). Está descrita nesta raça a ocorrência de atrofia progressiva da retina (patologia oftalmológica que causa cegueira);
  • Teckel: Raça condrodistrófica em que as hérnias discais são muito comuns (dado o facto de a coluna ser muito extensa para o tamanho dos membros). É comum a presença de displasia folicular (alteração genética em que ocorre falta do crescimento de pelo em algumas zonas). Seborreia primária e celulite juvenil são patologias dermatológicas que ocorrem com alguma frequência. Alguns cães apresentam ducto arterioso persistente congénito.

Daniela Leal
Médica Veterinária de Animais de Companhia

 

 

Published by Daniela Leal

# Experiência Mestrado Integrado em Medicina Veterinária pelo ICBAS, U.Porto. Realizou estágios em Portugal, Espanha e no Reino Unido e conta com 3 anos de experiência em Clínica de Animais de Companhia. A Nutrição Clínica e a Oftalmologia são áreas clínicas de especial interesse. # A minha relação com os cães Nos últimos 8 anos vi cães diferentes todos os dias – fascina-me a forma como encaram a vida com felicidade, proporcionando sentimentos positivos a quem os rodeia. Lá em casa a Kia, com 5 anos, é atualmente o membro mais novo da família :) Adoramos ir juntas passear à praia!

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *