A membrana serosa que cobre os órgãos e a cavidade abdominal designa-se de peritoneu.

A peritonite corresponde à inflamação dessa serosa e na maioria das vezes tem prognóstico reservado, sendo uma condição, que se não for corretamente tratada pode ser fatal.

 

A peritonite em cães pode ser classificada de variadas formas: primária ou secundária, séptica ou asséptica e localizada ou generalizada.

Origem

Quanto à origem, casos de peritonite primária são incomuns, sendo causados por uma inflamação direta a partir da disseminação de microorganismos por via hematógena ou linfática.

Já a peritonite secundária é mais frequente, e apresenta-se de diferentes formas.

Tipo

Pode ser do tipo séptica,  a mais comum, em que microorganismos patogénicos proliferam rapidamente, e determinam processo infecioso grave( por exemplo após perfurações intestinais, quadros viricos com infeção bacteriana secundária, etc).

Mas pode também ser asséptica : por exemplo causada pela libertação de urina ou bílis na cavidade abdominal ( por exemplo após um trauma como casos de atropelamento).

Complicações pós cirugicas abdominais, irritação causada por corpos estranhos ou neoplasias também podem causar peritonites. As peritonites neoplásicas estão associadas à libertação de conteúdo de origem neoplásica no interior da cavidade abdominal que altera a camada serosa e provoca a sua inflamação.

Localização

Pode ser localizada ( ou seja afectando uma zona restrita do peritoneu) ou generalizada, tendo um melhor prognóstico na primeira opção.

Sintomas e diagnóstico

Os sintomas podem ser diversos e associados com a causa primária: febre, distensão e aumento abdominal, vómitos, anorexia, prostração e diarreia. O quadro é doloroso e costuma deixar o animal letárgico ou sem energia.

Além das manifestações físicas, a doença tende a levar ao comprometimento da perfusão tecidual, acidose metabólica, sepse, distúrbios de coagulação e, em casos graves, insuficiência múltipla de órgãos.

Para realizar o diagnóstico, o médico veterinário deve conjugar dados do animal, sintomas e meios complementares de diagnóstico como a ecografia. A acumualção de liquido abdominal numa peritonite é bastante comum e a sua análises pode ser fulcral para classificar a origem da inflamação.

Tratamento

O tratamento vai depender da causa primária, da extensão e do grau de gravidade. Estabilização do animal, tratamento de suporte e adequação do tratamento à causa em si são os pontos fundamentais. Em casos mais severos, pode ser necessário intervenção cirurgica para lavagem e drenagem da cavidade, e extirpação de tecidos demasiado inflamados ou infecionados.

Não há maneiras de prevenir a peritonite, mas o diagnóstico e tratamento precoce podem ser determinantes.

Helena Ferreira

Médica Veterinária de Animais de Companhia

Published by Helena Ferreira

Experiência Mestrado Integrado em Medicina Veterinária no ICBAS - Universidade do Porto, concluído em 2017, tendo realizado vários estágios em Portugal e nos EUA onde aprofundou conhecimentos na área de Anestesia, Cuidados intensivos, Cardiologia e Radiologia. Desde de 2017 a trabalhar em clínica de animais de companhia com especial interesse nas áreas de Cirurgia e de Medicina Interna. A minha relação com os cães Os cães fazem parte da minha vida desde que a minha memória me permite lembrar. Cresci com eles e aprendi o significado de altruísmo e resiliência. São o verdadeiro exemplo se felicidade genuína! estão sempre lá para nós! Cá em casa tenho a Cuchi, uma “rafeirinha” com 15 anos mas espírito de cachorro! É um amor, a não ser quando se mete com os gatinhos cá de casa :)

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *