A laringe é uma porção do sistema respiratório composto por membranas e cartilagens situada entre a faringe e a traqueia, onde se localizam as cordas vocais. Ela funciona basicamente como uma válvula que impede a passagem de ar durante a deglutição e a passagem de partículas alimentares ou líquidos para a via respiratória.

A paralisia de laringe em cães é uma patologia que causa perda parcial ou total da função dos nervos e músculos que controlam os movimentos da laringe quando o animal respira.

O resultado dessa paralisia é a obstrução das vias aéreas superiores, podendo ocorrer em vários graus, causando uma dificuldade respiratória importante, já que a laringe do animal não abre corretamente na inspiração e nem fecha completamente na deglutição, permanecendo constantemente semiaberta. Isso leva ao comprometimento da ventilação (sendo pior durante o exercício físico), dificuldade na regulação da temperatura corporal, bem como a falha do mecanismo de proteção das vias aéreas durante a deglutição. Ou seja, partículas alimentares podem, de forma mais facilitada, entrar no “canal do ar”.

  • É incomum em gatos e pode ocorrer em cães de qualquer idade e raça, embora a forma idiopática seja mais prevalente em animais mais velhos e de grande porte, como cães das raças Golden e Labrador Retriever.

Pode ser congénito (nascer com o animal), adquirida :deficiência hormonal, secundária a trauma, neoplasia, polineuropatia ou doença endócrina, doença nos nervos (neuropatia), doenças neuromusculares ou de origem desconhecida (idiopática).

Os sinais mais evidentes de paralisia da laringe nos cães compreendem:

  • a disfonia (alteração no da voz, podendo até ficar afónico),
  • engasgar ou tossir, principalmente depois de beber ou comer,
  • dificuldade na respiração e na prática de exercício físico,
  • inspiração ruidosa, e, em casos graves, cianose (coloração azulada das mucosas devido à falta de oxigénio)
  • síncope (desmaio).

Também podem ocorrer problemas secundários como a pneumonia por aspiração ( quando partículas alimentares acabam “erradamente” no pulmão) ou edema nos pulmões, embora, na maioria dos casos, o problema continue a ser nas vias respiratórias superiores.

O diagnóstico da paralisia de laringe em cães geralmente é realizado através do exame direto da laringe do animal e/ou laringoscopia sob leve sedação. Exames de diagnóstico complementares como radiografias, tomografia ou ecocardiografia podem ser importantes para descartar doenças preexistentes no coração, pulmão ou mediastino e outras causas possíveis dos sintomas respiratórios.

O tratamento passa pelo maneio médico quando há stress respiratório, mas a resolução definitiva do problema passa pela correção cirúrgica.

Helena Ferreira

Médica Veterinária de Animais de Companhia

Published by Helena Ferreira

Experiência Mestrado Integrado em Medicina Veterinária no ICBAS - Universidade do Porto, concluído em 2017, tendo realizado vários estágios em Portugal e nos EUA onde aprofundou conhecimentos na área de Anestesia, Cuidados intensivos, Cardiologia e Radiologia. Desde de 2017 a trabalhar em clínica de animais de companhia com especial interesse nas áreas de Cirurgia e de Medicina Interna. A minha relação com os cães Os cães fazem parte da minha vida desde que a minha memória me permite lembrar. Cresci com eles e aprendi o significado de altruísmo e resiliência. São o verdadeiro exemplo se felicidade genuína! estão sempre lá para nós! Cá em casa tenho a Cuchi, uma “rafeirinha” com 15 anos mas espírito de cachorro! É um amor, a não ser quando se mete com os gatinhos cá de casa :)

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *