O hipotiroidismo consiste na diminuição da produção e libertação das hormonas da tiroide. É mais comum em animais com 1 a 8 anos de idade e as raças mais predispostas são o Boxer, Labrador e Schnauzer. Contudo, pode surgir em cães de qualquer raça e em qualquer idade.

Porque razão meu cão pode desenvolver hipotiroidismo?

Existem várias causas de hipotiroidismo:

  • Primário – é o tipo mais comum. Pode ser secundário a tiroidite linfocitária, atrofia idiopática da glândula tiroidea;
  • Secundário – traumatismos, neoplasia na hipófise ou causas iatrogénicas (remoção cirúrgica ou por medicação);

 

Quando devo suspeitar que meu cão possa ter hipotiroidismo?

A manifestação clínica é variada e inespecífica, pois é uma doença que afeta vários órgãos. Podemos observar:

Como é realizado o diagnóstico?

O diagnóstico é realizado pelo Médico Veterinário através do doseamento das hormonas da tiroide (T3 e T4) e da hipófise (TSH) no sangue. Além disso, é recomendada a realização de análises sanguíneas gerais uma vez que é comum apresentarem também anemia, imunodepressão e colesterol elevado.

Pode ser recomendado também a realização de uma ecografia à tiroide ou exame de imagem avançada como TAC (tomografia axial computorizada).

Existe tratamento?

É uma doença que não tem cura, mas tem tratamento. Este consiste na suplementação oral de substituto das hormonas da tiroide, a Levotiroxina.

Inicialmente a dose recomendada baseia-se no peso do animal sendo ajustada de acordo com o doseamento dos níveis de T4.

É necessário um acompanhamento médico? Até quando?

É uma suplementação para o resto da vida do animal, assim como o acompanhamento médico-veterinário. É recomendado o doseamento da hormona T4 para ajustar a dose da medicação a cada 6 ou 12 meses.

Devo estar atentos a sinais de sobredosagem?

Sim, no caso de sobredosagem o cão pode apresentar sinais de hipertiroidismo:

Deverá entrar em contacto com seu Médico Veterinário para ajustar a dose!

 

Filipa Calejo

Médica Veterinária de Animais de Companhia

Published by Filipa Calejo

# Experiência Mestrado integrado em Medicina Veterinária em 2013, pelo ICBAS, Universidade do Porto. Vencedora do prémio SPCAV-Vetmedin, melhor tese de mestrado na área de Cardiologia Veterinária, em 2014. Dedica-se a Clínica de Animais de Companhia, tendo como principais áreas de interesse cardiologia e dermatologia. # A minha relação com os cães: Apaixonada por cães, o que me motivou e traçou o meu percurso profissional. Companheiros para a vida e de amor incondicional. O Harley, um Jack Russell é novo membro da família com apenas 3 meses enche a casa de alegria e algumas traquinices ?

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *