O que é a hepatite infeciosa canina?

A Hepatite Infeciosa Canina é uma doença grave e muito contagiosa, provocada pelo adenovírus canino tipo 1 (CAV-1). Este vírus é extremamente resistente no meio ambiente e provoca necrose (morte) das células do fígado dos cães infetados. Os cachorros são mais sensíveis a esta doença, embora cães adultos também possam ser afetados.

Quais os sinais clínicos?

A Hepatite Infeciosa Canina é uma infeção que pode manifestar-se de diversas formas, podendo os seus sintomas passar despercebidos em alguns dos casos.

Consideram-se as seguintes formas da doença:

  • Subclínica: o cão pode não apresentar sintomas ou desenvolver alterações subtis. É considerada a forma leve da patologia.
  • Aguda: os patudos apresentam sinais clínicos durante 5 a 7 dias, sendo necessária intervenção médico-veterinária. Após tratamento, a maioria dos cães recupera sem sequelas.
  • Hiperaguda: é a forma mais agressiva e severa da patologia. Ocorre maioritariamente em cães jovens não vacinados e desenvolve-se muito rapidamente, impossibilitando o diagnóstico e tratamento. Ocorre colapso e morte do animal em 24 a 48 horas após início dos sintomas. Muitos tutores pensam que o seu patudo foi vítima de intoxicação.

Os animais infetados podem apresentar os seguintes sintomas:

Como se diagnostica a Hepatite Infeciosa Canina?

Dado existirem diversas formas da doença, pode nem sempre ser possível diagnosticar atempadamente a infeção. Contudo, o Médico Veterinário, através da história e do exame físico do patudo poderá suspeitar da presença da patologia. Análises de sangue são necessárias para complementar o diagnóstico e avaliar a severidade da doença.

Qual o tratamento da hepatite infeciosa canina?

Não existe tratamento específico para a doença, pelo que se aposta na terapia de suporte. Isto significa que, através de medicação, se tentam controlar os sinais clínicos. Recorre-se a fluidoterapia, antibióticos (para eliminar infeções bacterianas secundárias), anti-eméticos e até mesmo transfusões sanguíneas.

Existe forma de prevenir a doença?

Sim! A melhor forma de prevenir é através da vacinação dos cachorros e adultos.

Helena Ferreira

Médica Veterinária de Animais de Companhia

Published by Helena Ferreira

Experiência Mestrado Integrado em Medicina Veterinária no ICBAS - Universidade do Porto, concluído em 2017, tendo realizado vários estágios em Portugal e nos EUA onde aprofundou conhecimentos na área de Anestesia, Cuidados intensivos, Cardiologia e Radiologia. Desde de 2017 a trabalhar em clínica de animais de companhia com especial interesse nas áreas de Cirurgia e de Medicina Interna. A minha relação com os cães Os cães fazem parte da minha vida desde que a minha memória me permite lembrar. Cresci com eles e aprendi o significado de altruísmo e resiliência. São o verdadeiro exemplo se felicidade genuína! estão sempre lá para nós! Cá em casa tenho a Cuchi, uma “rafeirinha” com 15 anos mas espírito de cachorro! É um amor, a não ser quando se mete com os gatinhos cá de casa :)

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *