Existem vários fatores que fazem com que tenha de levar o seu cão com maior regularidade à consulta.

Que fatores são esses?

Cachorros e cães sénior carecem de um maior número de visitas. Os primeiros devido à primovacinação e restantes procedimentos necessários nesta fase e os segundos para check-ups de saúde regulares e/ou para monitorização de doenças crónicas que se começam a manifestar com a idade.

Cães que se encontrem em regimes de perda de peso beneficiam de mais visitas  à clínica para se pesarem e para que lhe possam ser aconselhados ajustes na dose diária da ração.

  • Estado de saúde:

Todos os cães que apresentam qualquer tipo de alteração ou sinal clínico de doença deverão ser consultados de forma imediata para avaliação do seu estado de saúde, podendo necessitar, posteriormente, de consultas de controlo para reavaliação do caso e para que possa ser dada “alta” da situação.

  • Protocolo vacinal específico:

Apesar das vacinas recomendadas de forma geral para todos os cães serem a da raiva (obrigatória por lei) e a que dá imunidade contra a esgana, hepatite infeciosa, parvovirose, parainfluenza e leptospirose, a verdade é que o seu cão poderá necessitar de fazer outro tipo de vacinas. São exemplo a da leishmaniose e a da tosse do canil.

  • Doenças crónicas:

Cães diagnosticados com doenças crónicas, nomeadamente patologias cardíacas, gastrointestinais, hepáticas ou renais ou até mesmo quadros tumorais, necessitam de um maior número de visitas para monitorização clínica, realização de exames complementares e ajustes de medicação.

Se o seu cão é um cão adulto saudável é provável que apenas tenha que ir 1 a 2 vezes por ano ao veterinário, tendo em conta que deverá ser vacinado anualmente e desparasitado, pelo menos, de 6 em 6 meses.

Contudo, tenha em conta os fatores acima descritos e questione o seu médico veterinário quanto ao número de visitas recomendadas para o caso particular do seu cão.

Não se esqueça que consultas regulares permitem também detectar uma série de alterações que podem não ser percepcionadas em casa, melhorando o prognóstico através do seu diagnóstico precoce.

Tomás Magalhães

Médico Veterinário

Published by Tomás Magalhães

Experiência Terminou o Mestrado Integrado em Medicina Veterinária pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) em 2016, tendo realizado vários estágios em Portugal e no Reino Unido. Tem-se dedicado à clínica de animais de companhia desde então, estando atualmente a conciliar essa prática com o Doutoramento em Ciências Veterinárias pela mesma universidade. Tem particular interesse pelas áreas de medicina interna, oncologia e comportamento animal. A minha relação com os cães O fascínio que tenho por esta espécie inteligente e bondosa começou bem cedo na minha vida. Desde pequeno que dizia que queria ser veterinário para poder “tratar de cães”. Hoje, felizmente, tenho a oportunidade de poder trabalhar com eles e para eles. Em casa tenho o Matias, um labrador preto, que me enche a roupa de pelo e os últimos anos de alegria por tê-lo como companhia.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *