A senilidade é um problema que também pode afectar os nossos patudos, tal como nas pessoas.

O que é a demência?

A demência ocorre devido ao envelhecimento, sendo que com a idade o cérebro pode afectar a compreensão e a memória. Esta é uma situação frequente nas pessoas idosas, mas nem todos sabem que também pode afectar os nossos patudos em idade mais avançada.

Nos cães este problema de demência é chamado de síndrome de disfunção cognitiva, que já foi comparado com o alzheimer nas pessoas.


Sintomas de demência e senilidade em cães

Principalmente para quem desconhece a existência desta condição, perceber que o cão está senil pode ser difícil de identificar. No entanto, sabendo que é uma patologia que afecta os cães mais idosos, estando atento a alguns sinais subtis pode ajudar a identificar esta situação precocemente.

Tal como nas pessoas, a senilidade afecta principalmente a memória, aprendizagem e compreensão. Assim, nos cães, os sintomas mais comuns de demência são:

  • Ter comportamentos fora do habitual, como por exemplo urinar no local errado, sendo habitual fazer as necessidades no local correcto desde muito pequeno;
  • Confusão geral ou desorientação, principalmente em locais familiares;
  • Ficar muito tempo a olhar para um canto ou parede, e por vezes, até ter dificuldade em conseguir sair desse local;
  • Passar muito tempo a olhar para o “vazio” e por vezes nem reagir a estímulos ou à chamada do seu nome;
  • Não responder ao chamamento nem a outros comandos, quando era habitual fazê-lo;
  • Vocalizar sem razão aparente.


Tratamento da demência em cães

Infelizmente não existe nenhum tratamento para quando o patudo fica senil, no entanto, quando mais precocemente se diagnosticar essa condição melhor, uma vez que é possível administrar alguns suplementos que auxiliam na função cerebral.

Alguns suplementos também podem ser dados ao seu cão numa idade mais avançada, de forma a prevenir ou retardar esta situação, no entanto, esta situação deve ser sempre conversada com o seu veterinário e avaliar cada caso.

Também, caso note que o seu patudo demonstra algum dos sinais, ainda que muito ligeiros, mencionados anteriormente, deve conversar com o seu veterinário para que seja avaliado e descartar ou confirmar o diagnóstico. Dessa forma o veterinário pode recomendar a administração do suplemento mais indicado para o seu patudo.


Que cuidados devo ter com um cão com demência?

Como já vimos, não existe um tratamento para esta situação pelo que a melhor forma de lidar com esta patologia é tomando algumas medidas de forma a manter o cérebro do seu patudo o mais ativo possível e também manter o animal em segurança e confortável.

Os cuidados que deve ter, caso o seu cão esteja senil, é tentar manter ao máximo as rotinas do dia-a-dia, incentivar o cão a exercitar-se dentro dos seus limites e ensinar alguns truques. Acima de tudo, compreenda se o seu cão tiver algum comportamento fora do normal e não reagir da mesma forma, pois trata-se de um problema que o patudo não consegue controlar.

Patrícia Azevedo

Médica Veterinária

Published by Patrícia Azevedo

Experiência Frequentou o Mestrado Integrado em Medicina Veterinária pela UTAD, tendo concluído posteriormente o curso no ICBAS (Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Realizou vários estágios em Clínica de Animais de Companhia trabalhando agora nessa mesma área . As suas principais áreas de interesse são Medicina Interna e Cirurgia. A minha relação com os cães Os cães sempre fizeram parte da minha vida e do meu percurso profissional. Desde pequena o sonho era ser veterinária e ter um cão, até que com 11 anos o Rover se tornou o novo membro da família e a inspiração para ser médica veterinária que hoje em dia recordo com muito amor e carinho. Agora a minha melhor amiga é a Dama uma patuda rafeira que me enche o coração. Os cães são das melhores alegrias que podemos ter, sorte de quem tem um patudo na sua vida!

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *