A alimentação com dietas à base de carne crua para cães, RMBD ( do inglês Raw Meat- Based Diets) ou BARF (do inglês Biologically Aproprieted Raw Food) têm vindo a ganhar popularidade nos últimos anos.

Este tipo de alimentação pode ser recomendada pelo Médico Veterinário ou até ser procurada por tutores mais curiosos.

Em que consistem as dietas à base de carne crua para cães?

É uma dieta à base de produtos ou subprodutos crus de origem animal. Inclui vegetais, ovos, cereais, levedura, leite e iogurte. Tem com fundamento uma alimentação mais natural, semelhante à forma primitiva de alimentação canina. Não devemos esquecer o lobo é um animal estritamente carnívoro mas o cão, que descende deste, é considerado omnívoro. 

Quais as vantagens deste tipo de dieta?

  • Elevada digestibilidade devido aos alimentos estarem num estado “natural”
  • Proporciona maior hidratação
  • Elevada palatabilidade
  • Maior biodisponibilidade dos nutrientes podendo resultar em pele e pêlo mais saudáveis.

E as desvantagens?

  • Pode ser uma dieta nutricionalmente desequilibrada. Quando não são produzidas por especialistas podem ter carências nutricionais e provocar doenças graves.
  • Risco de contaminação bacteriana e parasitária. A carne crua pode conter bactérias como E.Coli ou Listeria ou parasitas como por exemplo, o Toxoplasma gondii. Estes agente são zoonóticos, podendo constituir problema no humano. Um tópico muito discutido é o risco para a saúde pública devido à possibilidade de contaminação decorrente do uso destas dietas
  • Possíveis complicações como perfuração gastrointestinal ou fratura de dentes principalmente quando são consumidos ossos.

Quais os cuidados especiais que devo ter?

Existem locais de venda deste tipo de refeições já preparadas. Pode informar-se com os Médicos Veterinários associados a estas empresas sobre quais as quantidades e de que modo devem ser servidas as refeições ao seu animal.

Se optar por alimentação com carne crua deve preferir sempre esta forma de aquisição. Assim, além de garantir um tratamento dos alimentos crus, também tem a adição de outros ingredientes, para equilibrar a dieta e suprir todas as necessidades nutricionais.

E se eu quiser preparar em casa estas refeições?

Alguns tutores podem querer fazer esta alimentação de modo caseiro, adquirindo a carne crua e os outros ingredientes para preparar as refeições. Se o fizer assegure-se que segue um plano feito por um Médico Veterinário Nutricionista

Ajudamos a criar a receita ideal para o seu cão aqui.

A carne deve sempre ser comprada num talho da sua confiança. Lembre-se que deve comprar a carne que compraria para si! Nunca deve dar carne com aspeto pior ou diferente que a que nós consumimos.

Existem vários cortes de carne, ou seja, diferentes partes do animal para consumo. Idealmente, tal como para a nós, deve escolher as partes nobres, pois têm menos gordura e são suculentas e macias.

Para evitar a contaminação bacteriana e parasitária é muito importante que a carne seja congelada a -20º C durante pelo menos 7 dias. Mesmo assim, segundo alguns estudos recentes, este método pode não eliminar por completo todos os agentes bacterianos e parasitários. Daí surge a divisão de opiniões até mesmo dos Médicos Veterinários em relação a este tipo de alimentação.

A manipulação da carne crua deve ser muito cuidada. Os agentes bacterianos e parasitários constituem um problema para os humanos, podendo resultar em doença grave se ingeridos ou manipulados sem cuidados. Deve oferecer a refeição, retirar ao fim de 20 minutos no máximo e descartar o que sobrou: está proibido reaproveitar carne crua.

Todos os cães podem ter uma alimentação à base de carne crua?

Estas dietas não são aconselhadas para todos os cães. Patudos com o sistema imunitário comprometido não devem comer, devido ao maior risco de infeção. Se o agregado familiar for composto por indivíduos mais suscetíveis a doenças como crianças, idosos, pacientes oncológicos ou imunodeprimidos também não deve ser usada.

Em cachorros, estas dietas também são de evitar. Nesta fase de vida, os cães estão mais sensíveis a infeções e desenvolvem com facilidade carências nutricionais, que podem comprometer o seu crescimento.

Quais são os grandes desafios desta alimentação?

  • Garantir segurança do ponto de vista dos perigos bacteriológicos e parasitários para o seu cão e para toda a família
  • Assegurar que todas as necessidades nutricionais são cumpridas.

Aconselham-se consultas de rotina com o Médico Veterinário assistente e a realização de análises de sangue e de fezes para garantir os pontos acima referidos.

Joana Silva

Médica Veterinária

Published by Joana Silva

Experiência Mestrado integrado em Medicina Veterinária pelo ICBAS, U.Porto. Realizou estágios em Portugal e Espanha e tem realizado atividade profissional em Clínica de Animais de Companhia há mais de 3 anos. As principais áreas de interesse são medicina interna, nutrição e dermatologia. A minha relação com os cães O meu contacto com cães tem aumentado nos últimos anos e com ele também aumentou o meu gosto e respeito por eles: são fantásticos e tornam a vida de quem os acompanha muito melhor. São sem dúvida um dos melhores membros da família.

Leave a comment