Fazer uma boa higiene e desinfecção dos nossos patudos é, agora mais do que nunca, uma preocupação acrescida de todos os donos. Mas nem todos os produtos podem ser utilizados de forma segura. Leia este artigo e saiba o que deve fazer.

É importante desinfetar o meu patudo?

Numa altura em que uma das maiores preocupações é a desinfecção das nossas mãos, superfícies e objectos, quem tem cães questiona-se se as mesmas regras de desinfecção se aplicam aos nossos melhores amigos, com medo da possibilidade os nossos patudos poderem ser uma fonte de contágio de covid-19.

De facto, actualmente sabemos que os cães não ficam infetados com covid-19 e a probabilidade de contágio de cão para humanos é extremamente reduzida.

No entanto, como andam no exterior sem qualquer protecção, podem agir como qualquer superfície transportando partículas infecciosas, especialmente nas suas patas e pelo, e portanto devemos ter algum cuidado quando regressamos de um passeio ao exterior.

Para além de partículas víricas infecciosas, ao desinfetar o seu cão também está a levar menos sujidade e outras partículas para o interior de sua casa, portanto é sempre boa ideia desinfetar o seu cão.

Quando e com que frequência deve desinfetar o seu patudo?

O ideal é desinfetar o seu cão sempre que for com ele passear ao exterior, desta forma ao regressar a casa garante que não transporta consigo no pelo ou nas patas partículas infecciosas víricas e mesmo outras partículas de sujidade.

Já sabemos que a desinfeção é importante, mas nem todos os produtos são adequados à pele dos cães e alguns podem inclusive até ser tóxicos, como é o caso do álcool gel que hoje em dia todos utilizamos. Isto porque para além de ser bastante agressivo para a pele dos patudos, corremos também o risco de estes lamberem as suas patinhas com álcool e se intoxicarem, portanto é muito importante ter em consideração os produtos utilizados.

Como deve desinfetar o seu cão e o que utilizar?

A melhor forma de desinfetar as patinhas do seu melhor amigo é utilizando água morna e um champô apropriado nessa zona secando depois com uma toalha limpa. Pode em alternativa também utilizar sabão neutro e deve ter sempre o cuidado de lavar e limpar bem nas zonas interdigitais. No entanto, esta lavagem deve ser pontual e apenas nessa zona, não sendo aconselhável dar banhos diários ao seu cão.

Também encontra algumas toalhitas à base de clorexidina ou outras soluções desinfectantes que podem ser utilizadas para limpar não só as patinhas do cão mas também o resto do corpo. Tenha o cuidado de optar sempre por toalhitas próprias para cães para não correr o risco de causar alguma irritação ou intoxicação na pele.

Patrícia Azevedo

Médica Veterinária

Published by Patrícia Azevedo

Experiência Frequentou o Mestrado Integrado em Medicina Veterinária pela UTAD, tendo concluído posteriormente o curso no ICBAS (Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Realizou vários estágios em Clínica de Animais de Companhia trabalhando agora nessa mesma área . As suas principais áreas de interesse são Medicina Interna e Cirurgia. A minha relação com os cães Os cães sempre fizeram parte da minha vida e do meu percurso profissional. Desde pequena o sonho era ser veterinária e ter um cão, até que com 11 anos o Rover se tornou o novo membro da família e a inspiração para ser médica veterinária que hoje em dia recordo com muito amor e carinho. Agora a minha melhor amiga é a Dama uma patuda rafeira que me enche o coração. Os cães são das melhores alegrias que podemos ter, sorte de quem tem um patudo na sua vida!

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *