Porque é que os cães têm caspa?

Nem todos os cães têm caspa! A caspa surge quando a pele está seca ou não está suficientemente nutrida, mesmo que não haja um problema cutâneo. Contudo, a caspa recorrente pode ser motivada por problemas de pele – qualquer problema de pele pode provocar seborreia!

Como saber se o seu patudo tem caspa?

Em cães de pelo escuro é fácil de perceber: nota-se uma descamação branca (que tem origem na pele), que contrasta com a cor escura do pelo. Normalmente o pelo encontra-se baço e sem brilho. Em cães com pelo mais claro é possível perceber se há descamação cutânea observando a pele na zona dorso-causal (perto do rabo), levantando o pelo.

Como diminuir a caspa?

Banhos com champô próprio – podem ser utilizados champôs hidratantes de uso frequente ou então champôs veterinários para seborreia. Os banhos devem ser espaçados de um mês, sendo que em cães com problemas de pele os banhos podem ser recomendados com uma frequência maior.

Escovagens regulares – devem ser feitas com escovas que não sejam agressivas, sendo que a frequência é variável consoante o tipo de pelo do animal.

Uma boa alimentação – idealmente deve ser fornecida uma alimentação de boa qualidade, que aporte os nutrientes essenciais e que, se possível, forneça um aporte extra de ácidos gordos ómega. As rações de salmão costumam ser uma ótima opção!

Suplementação extra com óleo de salmão – a suplementação extra da ração com óleo de salmão ajuda a hidratar a pele, graças ao aporte de ácidos gordos ómega 3 (DHA e EPA) e ómega 6.

Desparasitação externa sempre em dia – é importante que o patudo esteja protegido contra parasitas externos, nomeadamente contra as pulgas. Pode escolher desparasitá-lo com pipeta, coleira ou comprimido.

Se existirem feridas, lesões ou comichão é necessário que a pele seja vista presencialmente em consulta. Alergias, infeções bacterianas/fúngicas, presença de cheyletiella (ácaro), défices nutricionais, bem como doenças como dermatite seborreica e ictiose podem estar por detrás da seborreia intensa e crónica.

Como diagnosticar um possível problema de pele?

O diagnóstico de alterações patológicas deve ser feito através da análise microscópica do pelo e da pele (citologia, raspagem de pele, etc.), bem como da análise macroscópica de lesões na pele. Como tal, deve levar o patudo à consulta veterinária.

Se houver alguma alteração cutânea diagnosticada, pode ter que ser introduzida medicação própria para o problema em questão.

 

Daniela Leal

Médica Veterinária de Animais de Companhia

Published by Daniela Leal

# Experiência Mestrado Integrado em Medicina Veterinária pelo ICBAS, U.Porto. Realizou estágios em Portugal, Espanha e no Reino Unido e conta com 3 anos de experiência em Clínica de Animais de Companhia. A Nutrição Clínica e a Oftalmologia são áreas clínicas de especial interesse. # A minha relação com os cães Nos últimos 8 anos vi cães diferentes todos os dias – fascina-me a forma como encaram a vida com felicidade, proporcionando sentimentos positivos a quem os rodeia. Lá em casa a Kia, com 5 anos, é atualmente o membro mais novo da família :) Adoramos ir juntas passear à praia!

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *