Quando está perto do seu cão, seja ele jovem ou adulto, pode notar mau hálito no zona da boca. Vamos ajudá-lo a saber quais as principais causas do mau hálito nos cães e como pode ajudar o seu melhor amigo.

Quais as causas de mau hálito nos cães jovens?

O mau hálitos nos cães jovens é menos comum do que nos cães adultos, no entanto pode acontecer. As principais causas são:

  • Falta de escovagem ou cuidados básicos dentários diários
  • Alteração na alimentação
  • Hábitos impróprios de ingestão como coprofagia
  • Infeções localizadas na boca

Normalmente, a partir dos 4 meses inicia-se a mudança de dentição de leite para definitiva no cachorro, sendo mais importantes os cuidados dentários a partir dessa idade. Deve habituar o seu cão desde cedo à manipulação na zona da boca, seguindo os seguintes passos durante algumas semanas:

  • Iniciar manipulação com os dedos ao longo de toda a arcada dentária, fazendo movimentos. Inicialmente sem pasta dentífrica e depois com a pasta: deve usar sempre uma pasta específica para cães
  • Começar a usar a dedeira ou escova de dentes sem qualquer pasta ou produto de limpeza
  • Juntar a pasta dos dentes à escova ou dedeira.

A alimentação pode também ser um fator para o seu patudo ter mau hálito.

Cães que comem comida cozinhada ou comida húmida, têm, normalmente, pior hálito do que os patudos que comem ração.

Relativamente à alimentação existem alguns sabores de ração que podem resultar num hálito diferente fazendo suspeitar de mau hálito. Por exemplo, rações à base de salmão podem provocar um cheiro mais forte na zona da boca

Na Barkyn, temos ração com diversas fontes proteicas que podemos adaptar ao seu patudo. Experimente personalizar a ração para o seu cão aqui.

Além de tudo isto, sabemos que os cães jovens podem ter tendência a comer as próprias fezes ou até fezes de outros animais, o que resulta num hálito pior.

Menos comum em cães jovens são as infeções na boca como abcessos dentários ou gengivites que vão provocar mau hálito.

Quais as causa de mau hálito nos cães adultos?

A halitose ou mau hálito nos cães tem as seguintes principais causas:

  • Ausência de escovagem ou cuidados dentários diários
  • Acumulação de tártaro: causa mais comum 
  • Infeções localizadas como abcesso dentário
  • Gengivite
  • Patologias sistémicas como insuficiência renal

No cão adulto, a ausência de hábitos de escovagem ou cuidados diários dentários resulta na acumulação de tártaro e consequente mau hálito persistente.

As infeções localizadas na boca são mais comuns com a idade e o mau hálito pode ser o primeiro sinal demonstrado pelo cão. Uma infeção dentária ou mesmo de gengiva é o suficiente para provocar halitose considerável e alteração dos hábitos de alimentação como comer menos, dificuldade em trincar o grão, entre outros.

Já algumas patologias sistémicas podem provocar mau hálito nos cães: o caso da insuficiência renal crónica que pode provocar aumento da ureia no sangue e consequente halitose.

O que é o tártaro?

O tártaro consiste numa acumulação de bactérias sobre os dentes, que além de halitose, provoca doença periodontal. As gengivas ficam inflamadas e doridas em resposta à placa de tártaro que se vai acumulando. Em situações avançadas os patudos podem deixar de comer e até mesmo perder dentes.

Normalmente o tártaro acumula-se por falta de cuidados diários dentários como a escovagem dos dentes. Quando já acumulado, o tártaro não será removido com escovagens nem outros cuidados diários, sendo mesmo necessário destartarização e, após a sua realização, é essencial iniciar cuidados diários para prevenir o seu reaparecimento.

Existem cães mais predispostos a ter tártaro?

As raças pequenas têm tendência para acumular tártaro com mais facilidade em comparação com raças grandes. A acumulação de tártaro fica mais frequente à medida que a idade avança. Consequentemente, patudos de raças pequenas e séniores têm mais predisposição a apresentar mau hálito!

Como suspeitar da acumulação de tártaro?

O excesso de tártaro com secundária doença periodontal são responsáveis por dor e desconforto nos animais, por isso deve estar atento aos seguintes sinais:

  • Interesse pela comida mas não chegando a ingeri-la
  • Dificuldade em mastigar
  • Dentes bastante amarelos ou acastanhados
  • Gengivas vermelhas que podem sangrar com facilidade
  • Mau hálito

Como prevenir o mau hálito nos cães?

Evitar a acumulação de placa bacteriana nos dentes é a chave para reduzir o mau hálito nos cães. Para prevenir o surgimento de tártaro aconselha-se:

  • Escovar regularmente os dentes, com escovas de dentes e pastas dentífricas próprias para animais
  • Dieta à base de ração seca de elevada qualidade, para estimular os movimentos orais e a mastigação
  • Oferecer snacks específicos anti-tártaro
  • Remédios caseiros: apesar de haver referencia ao uso de salsa para deixar um hálito mais fresco, a mesma não deve ser usada de forma contínua nem em grandes quantidades pois pode provocar intoxicação. 
  • Realizar consultas Médico-Veterinárias de rotina

É importante perceber que estes hábitos apenas ajudam a evitar o aparecimento, não tendo ação contra o tártaro que já existe.

Como é feita a remoção da placa bacteriana?

A limpeza dos dentes, conhecida como destartarização, permite a remoção do tártaro que se acumula nos dentes. Regra geral, pelo facto de o animal não ficar imóvel, a destartarização é feita sob anestesia geral.

Os dentes são então limpos com material de dentisteria e o tártaro é retirado por completo. A viabilidade e saúde de cada dente é avaliada e dentes com a raiz danificada são removidos.

Riscos da destartarização

O risco da destartarização está associado à anestesia geral. Está recomendada a realização de análises pré-cirúrgicas para avaliar a função hepática e renal, de forma a reduzir o risco anestésico.

Pós-destartarização

A maioria dos animais que se apresentam para destartarização têm gengivite associada. O Médico Veterinário, no período pós-destartarização, e até antes do procedimento, poderá receitar a toma oral de anti-inflamatório e antibiótico.

É muito importante no período pós-destartarização adotar hábitos que mantenham a saúde oral, de modo a atrasar a nova acumulação de tártaro.

 

Em suma, se notar que o seu cão tem mau hálito, tem alguma dificuldade em comer ou está a perder dentes definitivos que não deveriam cair deve de imediato agendar consulta com o seu Médico Veterinário.

Joana Silva
Médica Veterinária

Published by Joana Silva

Experiência Mestrado integrado em Medicina Veterinária pelo ICBAS, U.Porto. Realizou estágios em Portugal e Espanha e tem realizado atividade profissional em Clínica de Animais de Companhia há mais de 3 anos. As principais áreas de interesse são medicina interna, nutrição e dermatologia. A minha relação com os cães O meu contacto com cães tem aumentado nos últimos anos e com ele também aumentou o meu gosto e respeito por eles: são fantásticos e tornam a vida de quem os acompanha muito melhor. São sem dúvida um dos melhores membros da família.

Leave a comment