A artrite nos cães carateriza-se por alterações anormais na articulação, que ocorrem quando a cartilagem é desgastada mais rapidamente do que é substituída.

A cartilagem atua como uma almofada para proteger os ossos, e quando se desgasta, as articulações ficam inchadas e doridas, condicionando a mobilidade dos cães.

Quais os sinais de artrite canina?

A artrite é uma doença lenta e gradual, pelo que inicialmente muitos sinais passam despercebidos pelo tutor. Além disso, as doenças articulares e ósseas são muito comuns em animais idosos, por isso nem sempre as dificuldades na mobilidade são associadas a patologia. É somente quando existe grande comprometimento na locomoção dos animais, que se procura ajuda do Médico Veterinário.

Um cão com artrite, irá ter dificuldade em mover-se, pular ou levantar-se. Mas podem estar associados outros sinais como:

  • Dor
  • Cansaço com facilidade
  • Desinteresse para brincadeiras
  • Dificuldades a subir e/ou descer escadas, camas ou sofás
  • Rigidez, sobretudo após o repouso
  • Preferência por ficar deitado, do que em pé
  • Patas inchadas
  • Choro ou outra manifestação de desconforto, aquando o toque na área afetada, podendo até demonstrar agressividade

Quais as causas de artrite nos cães?

  • Idade: à medida que os cães envelhecem, a cartilagem começa a degenerar e a perder qualidades. Atenção: embora mais comum em cães adultos e geriátricos, a artrite pode ocorrer nos jovens também.
  • Peso: excesso de peso dos cães reflete-se no excesso de carga para as articulações e cartilagem, o que condiciona a saúde articular. Se o seu cão tem excesso de peso pense já numa ração light para cães.
  • Alterações hereditárias: algumas raças têm condições hereditárias e genéticas que aumentam a probabilidade de desenvolverem artrite.
  • Traumatismos: traumas na cartilagem podem resultar em artrite e condicionar gravemente a mobilidade do seu cão.
  • Infeções: algumas infeções podem provocar o desgaste e destruição da cartilagem articular.

Como se diagnostica a artrite canina?

O exame físico realizado pelo Médico Veterinário, juntamente com radiografias permite fazer o diagnóstico da doença.

Qual o tratamento de artrite nos cães?

Embora a artrite não tenha cura, existem medicamentos que ajudam a conservar a articulação, evitando que se desgaste mais cartilagem. O objetivo do tratamento é reduzir a dor, controlar a progressão da doença e restabelecer a mobilidade dos patudos.

Inicialmente utilizam-se anti-inflamatórios e condroproterores como terapia. Em alguns casos, pode ser necessário cirurgia ou terapêuticas alternativas como a acupuntura, hidroterapia e fisioterapia.

É também importante manter o peso do cão dentro dos limites aconselháveis para a raça e porte, com exercício físico regular e alimentação adequada, respeitando sempre as quantidades diárias recomendadas pelo Médico Veterinário.

A importância da alimentação na artrite canina

A artrite afeta todas as articulações e não apenas a cartilagem, por isso é fundamental procurar uma ração que ajude a prevenir ou controlar a doença.

Existem certas dietas e suplementos nutricionais que não só reduzem a inflamação e a dor, mas também possuem um efeito reparador na osteoartrite, ao mesmo tempo que fortalecem todas as articulações.

  • A combinação de sulfato de condroitina e glucosamina reforça a cartilagem e, em associação com o ómega 3, previne a inflamação: uma ração personalizada com estes elementos deve ser procurada.
  • O ácido hialurónico regenera a formação do fluido sinovial: há estudos já publicados com os efeitos do ácido hialurónico em injeções intra-articulares.
  • A vitamina K interfere no processo de calcificação da cartilagem no osso, por isso previne o risco de pequenas fraturas e de osteoartrite.

Ana Matias

Médica Veterinária

Published by Ana Matias

Experiência Terminou o Mestrado Integrado em Medicina Veterinária pela Universidade do Porto (ICBAS) em 2014. Desde então tem-se dedicado à Clinica de Animais de Companhia, com especial interesse nas áreas de Imagiologia, Reprodução Animal e Oncologia Clínica. Pós-graduada e certificada a nível europeu em Diagnóstico por Imagem pela ESPVS. A minha relação com os cães Desde sempre que não sei existir sem a presença destes animais. Ensinaram-me a admirá-los, respeitá-los e amá-los ao ponto de me darem força para me tornar na pessoa que sou hoje profissionalmente e a nível emocional. A Dora é a menina que me acompanha faz 8 anos, uma verdadeira rafeira de raça, como costumo dizer :) Enche-me os dias e o coração.

Leave a comment