• Impressões digitais

O nariz do seu cão é único, não existe outro igual. Por isso, os narizes dos nossos melhores amigos são comparados às nossas impressões digitais.

  • Olfato

Não vale a pena competir com o olfato do seu patudo. Atualmente sabe-se que a capacidade olfativa do cão é 10 000 vezes mais potente do que a do ser humano.

  • Nariz húmido

É importante que o nariz do seu cão se mantenha húmido, porque permite uma maior captação das partículas do ar, o que melhora o seu olfato. Contudo, pode haver momentos em que o nariz esteja mais seco, o que não significa que o seu patudo está com febre. A avaliação da temperatura corporal deve ser avaliada por via rectal.

  • Orgão Vomeronasal

Os cães estão equipados com um órgão que se denomina órgão Vomeronasal ou órgão de Jacobson, que os ajuda a aprimorar o seu fantástico olfacto. Está localizado dentro da cavidade nasal, acima do palato e é composto por várias células sensitivas que detetam, não só, o cheiro, como também feromonas.

  • Braquicéfalos

Os nossos queridos braquicéfalos são ainda mais especiais, no que diz respeito ao seu focinho. Devido às suas particulares características anatómicas, estão mais predispostos a problemas respiratórios.

  • Mudança de cor

Alguns patudos apresentam mudanças fisiológicas da cor do nariz, como por exemplo, ficar mais claro na altura do inverno. Contudo, se notar a presença de crostas ou ulceras, deve contactar o médico veterinário habitual.

  • Detecção doenças

Atualmente existem alguns estudos que referem que alguns cães são capazes de detetar alguns cancros de forma precoce nos seus tutores, através do seu olfato. Isto é um verdadeiro super poder!

  • Espirro reverso

O espirro reverso acontece quando há uma irritação na garganta do patudo que o leva a “espirrar para dentro”. Pode ser um momento assustador para o tutor porque dá a sensação que o seu patudo está aflito, mas é algo fisiológico para o cão.

  • Passagem do tempo

Os cães conseguem avaliar a passagem do tempo, recorrendo ao seu olfato. Muitos conseguem prever quando é que o seu tutor vai voltar a casa, com base na concentração de odor do dono que vai diminuindo ao longo do dia. Há estudos que defendem que os cães são capazes de associar uma determinada concentração de odor do dono, ao momento a que este chega a casa.

  • Treinar o olfacto

Está comprovado que executar treinos com o seu cão que impliquem o uso do olfacto, o vão tornar mais feliz e optimista! 🙂

Sara Alves

Médica Veterinária de Animais de Companhia

Published by Sara Alves

Experiência Mestrado Integrado em Medicina Veterinária na UTAD, Vila Real. Realizou estágios em Portugal e nos EUA, e conta com 5 anos de experiência em Clínica de Animais de Companhia. Pós graduação em Medicina Interna e em Dermatologia, que são as suas áreas clinicas de especial interesse. A minha relação com cães Como dogperson convicta que sou, é para mim um privilégio contactar com cães de toda a forma e feitio, no meu dia-à-dia. São animais fiéis e lutadores, que me mostram que vale a pena olhar para a vida de uma forma positiva. A minha mais recente paixão chama-se Benjamim, é um cão sénior que me acompanha para todo o lado, o verdadeiro cãopanheiro.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *