Nem sempre é fácil perceber quando os cães partem os dentes. Por vezes, apenas os sintomas nos indicam que algo está errado, mas não percebemos inicialmente o quê.

Sintomas

Quando os dentes dos patudos caem ou são quebrados, são engolidos, na maioria das vezes, o que torna mais difícil para o tutor perceber o que está errado. No entanto, deverá estar atento para sintomas como:

Se notar algum destes sinais, avalie a boca do seu patudo. Em muitos casos consegue perceber qual o dente partido. Contudo, é sempre ideal procurar ajuda Médico-Veterinária para correto diagnóstico e inicio da terapêutica mais adequada.

Um dente partido pode ser motivo de muita dor. A raiz do dente pode ficar exposta, gerando bastante sensibilidade e desconforto ao animal. Além disso, existe risco de infeção e de formação de abcessos dentários.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico é feito mediante a avaliação do Médico Veterinário em consulta. Podem ser necessários exames de diagnóstico como a radiografia. Após confirmação do problema, é instituído o tratamento, que pode passar pela extração completa do dente ou reconstituição do mesmo.

Recuperação e cuidados

A recuperação depende do tratamento utilizado, mas por norma revela-se bastante simples. Existem cuidados gerais que pode ter em consideração:

  • Privilegiar ração húmida. Sendo de mais fácil mastigação, gera menor desconforto ao patudo.
  • Evitar brinquedos duros.
  • Evitar brincadeiras excessivas. Algumas atividades físicas podem ser exaustivas e potenciar sangramentos.
  • Medicamentos prescritos pelo Médico Veterinário. É importante respeitar as orientações do profissional de saúde, para que o tratamento tenha sucesso.

Ana Matias

Médica Veterinária

Published by Ana Matias

Experiência Terminou o Mestrado Integrado em Medicina Veterinária pela Universidade do Porto (ICBAS) em 2014. Desde então tem-se dedicado à Clinica de Animais de Companhia, com especial interesse nas áreas de Imagiologia, Reprodução Animal e Oncologia Clínica. Pós-graduada e certificada a nível europeu em Diagnóstico por Imagem pela ESPVS. A minha relação com os cães Desde sempre que não sei existir sem a presença destes animais. Ensinaram-me a admirá-los, respeitá-los e amá-los ao ponto de me darem força para me tornar na pessoa que sou hoje profissionalmente e a nível emocional. A Dora é a menina que me acompanha faz 8 anos, uma verdadeira rafeira de raça, como costumo dizer :) Enche-me os dias e o coração.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *