Quando se tem mais do que um patudo em casa torna-se complicado, por vezes, dar atenção apenas a um e, consequentemente, treinar um de cada vez.

No entanto, de forma a que o treino seja mais produtivo deverá ser feito isoladamente. Desta forma, é possível conseguir-se melhores resultados mais rapidamente. Assim damos toda a nossa atenção a cada patudo.

Mas não desespere! Vai poder treinar mais do que um cão ao mesmo tempo! No tempo certo…

Quando o treino está numa fase mais avançada, é importante que haja distrações de forma a aperfeiçoar o que foi ensinado. É nesse momento que entra o outro ou outros cães: durante o treino do primeiro patudo, o aparecimento de cães irá fazer com que se distraia dando assim a oportunidade de perceber como captar a sua atenção. Ao longo do tempo poderá ir aumentando o número de distrações presentes.

Uma outra forma de treinar mais do que um patudo é intervalar os treinos entre eles. Ou seja, enquanto um treina, é dado ao outro um brinquedo para roer ou uma outra atividade para relaxar. Mesmo não parecendo são laços e associações positivas que se fazem entre eles.

Existem momentos que podem ser utilizados como treino em conjunto:

– passeios, para que possam aprender um com o outro e socializar;

– controlo de estímulos: dando um biscoito a cada após dizer o nome de cada um, de forma aleatória e repetida.

Disfrute dos momentos com os seus patudos!

Sofia Galiza

Médica Veterinária de Animais de Companhia

Published by Sofia Galiza

Experiência Mestrado Integrado em Medicina Veterinária na UTAD - Universidade de Trás-os Montes e Alto Douro, concluído em 2017. Estagiou em Madrid, Londres e em Portugal onde se debruçou principalmente nas áreas de Cirurgia, Medicina Interna, Oncologia e Ecografia. Desde de 2017 a trabalhar em clínica de animais de companhia com especial interesse nas áreas de Oncologia, Medicina Interna e Comportamento Animal. A minha relação com os cães Os cães tiveram uma grande influência na decisão de ser médica veterinária. Sempre me fascinou o amor incondicional que têm pelo dono sem pedir nada em troca e da forma como parecem compreender tudo sem que seja preciso explicar o que for. Cá em casa tenho o Trengo, que veio homenagear a memória do seu homónimo, e que nos enche de alegria cada vez que entramos em casa :)

Leave a comment