O que é?

As Malassezias são um grupo de fungos que vive naturalmente na pele, boca e ouvidos dos nossos patudos. A sua presença previne a proliferação de outros fungos mais perigosos. Dentro do grupo das Malassezias, a Malassezia pachydermatis é a que se isola mais frequentemente da pele dos cães.

Quais são as causas?

Quando há alteração da barreira de proteção da pele, as Malassezias podem proliferar e é este sobrecrescimento que origina a dermatite. As principais causas incluem, alergias (dermatite atópica) e imunossupressão causada por problemas hormonais ou pelo uso crónico de corticoesteroides. Existem raças que, por apresentarem pregas na pele, estão mais predispostas à dermatite por malassezia, tais como, sharpei, bulldog, pug, entre outros.

Quais são os sinais clínicos?

A dermatite por malassezia ocorre com maior frequência nos meses mais quentes do ano, devido à aumento da quantidade de ectoparasitas, alergénios ambientais e ao clima (aumento da temperatura e da humidade). Se a infeção não for bem controlada, pode persistir, inclusivamente, nos meses mais frios. As zonas mais afetadas são regiões pouco arejadas, tais como, almofadas plantares, região interna das coxas, axilas e pregas de pele. Os principais sinais clínicos  são:

  • prurido
  • eritema
  • odor desagradável
  • pele gordurosa
  • otite

Como se diagnostica?

O diagnóstico é feito com base numa citologia de pele. Em casos positivos, devem ser identificadas malassezias através da visualização pelo microscópio.

Qual é o tratamento?

O tratamento vai depender da causa subjacente e da gravidade da infeção. Geralmente, recomenda-se um tratamento com um anti-fungico oral, associado a tratamento tópico através de banhos com um shampo específico. Posteriormente, é importante averiguar a causa principal que levou ao sobrecrescimento das malassezias, para prevenir recidivas.

Se tiver dúvidas, não deixe de as esclarecer junto do seu médico veterinário habitual.

Sara Alves

Médica Veterinária de Animais de Companhia

Published by Sara Alves

Experiência Mestrado Integrado em Medicina Veterinária na UTAD, Vila Real. Realizou estágios em Portugal e nos EUA, e conta com 5 anos de experiência em Clínica de Animais de Companhia. Pós graduação em Medicina Interna e em Dermatologia, que são as suas áreas clinicas de especial interesse. A minha relação com cães Como dogperson convicta que sou, é para mim um privilégio contactar com cães de toda a forma e feitio, no meu dia-à-dia. São animais fiéis e lutadores, que me mostram que vale a pena olhar para a vida de uma forma positiva. A minha mais recente paixão chama-se Benjamim, é um cão sénior que me acompanha para todo o lado, o verdadeiro cãopanheiro.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *