Os nossos patudos relacionam-se de modo específico com diferentes pessoas e a natureza e intensidade dessas relações dependem, de uma forma geral, de vários fatores: da socialização do cão,  atenção prestada, de um processo de associação positiva e da adequação de personalidades.

Mas vamos entrar nos detalhes essenciais para que você também, possa se tornar a pessoa favorita do seu cão 🙂

Muitos cães criam uma relação íntima com quem cuida deles durante o período de socialização, que ocorre entre o nascimento e os seis meses de idade. É durante essa altura especifica do desenvolvimento que os nossos patudos absorvem as suas primeiras experiências sociais e moldam a sua personalidade, sendo que é um período cujas circunstâncias e interações influenciam o resto das suas vidas. É por isso que é tão importante garantir que seu cachorro tenha interações positivas com uma ampla gama de pessoas, lugares e coisas.

Em animais adultos o processo de socialização e adaptação a experiências e pessoas continua, mas não numa taxa tão elevada ou intensa.

A disponibilidade e a atenção prestada é muito importante para a criação de um laço afetivo com um cão. Mas é igualmente importante que as interações e associações sejam positivas. Ou seja, queremos que o nosso patudo nos associe a memórias e experiências felizes e positivas. Queremos ser associados a brincadeiras e a mimos, mas também como a pessoa que dá incentivos e biscoitos.

Por outro lado, os cães costumam reagir mal às pessoas com quem têm más associações , ou associadas a experiencias assustadoras ou dolorosas.

Outro fator que influencia a criação de laços com um cão é o nível de energia e personalidade. Os cães costumam escolher uma pessoa favorita que corresponda ao seu próprio nível de energia e personalidade.

Além disso, algumas raças de cães são mais propensas a se relacionar com uma única pessoa, tornando mais provável que sua pessoa favorita seja o tutor ou cuidador principal.

De uma maneira geral , para se tornar a pessoa favorita do seu cão, além dos cuidados todos que lhe oferece, proporcione-lhe 30 minutos diários de atenção. Tempo ativo de brincadeira, treino, desporto, mas algo que ambos estejam envolvidos ativamente. Veja aqui algumas atividades que podem desenvolver juntos! E não se esqueça de o mimar bastante com a sua ração favorita!

Afinal, os nossos patudos também podem ser umas das nossas relações favoritas 🙂

Helena Ferreira

Médica veterinária de Animais de Companhia

Published by Helena Ferreira

Experiência Mestrado Integrado em Medicina Veterinária no ICBAS - Universidade do Porto, concluído em 2017, tendo realizado vários estágios em Portugal e nos EUA onde aprofundou conhecimentos na área de Anestesia, Cuidados intensivos, Cardiologia e Radiologia. Desde de 2017 a trabalhar em clínica de animais de companhia com especial interesse nas áreas de Cirurgia e de Medicina Interna. A minha relação com os cães Os cães fazem parte da minha vida desde que a minha memória me permite lembrar. Cresci com eles e aprendi o significado de altruísmo e resiliência. São o verdadeiro exemplo se felicidade genuína! estão sempre lá para nós! Cá em casa tenho a Cuchi, uma “rafeirinha” com 15 anos mas espírito de cachorro! É um amor, a não ser quando se mete com os gatinhos cá de casa :)

Leave a comment