Qual o efeito dos ácidos gordos?

Os ácidos gordos, principalmente ómega-3, promovem uma ação anti-inflamatória natural, reduzindo os sinais de dermatite (inflamação cutânea), descamação, alopécia (falhas de pelo) e prurido, que são as alterações mais frequentes em cães com problemas de pele.

Além disso, permitem manter uma barreira cutânea saudável, protegendo a pele da agressão e mantendo-a hidratada.

Esses ácidos gordos estão na ração ou é necessário suplementar?

Rações de boa qualidade e desenhadas para problemas cutâneos são ricas nestes ácidos gordos, pelo que a sua suplementação não é necessária. Destaco em particular, as rações que têm salmão como fonte animal. Contudo, se a ração que o cão estiver a fazer não for a mais adequada ou quando o aporte nestes constituintes tem de ser reforçado existem no mercado produtos que fazem esta suplementação, seja na forma de xarope ou cápsulas.

 

O meu cão tem um problema de pele, devo dar-lhe uma dieta rica nestes ácidos gordos?

Sim, os ácidos gordos deverão fazer parte do tratamento de qualquer patologia de pele. Sabe-se atualmente que doses altas de EPA e de DHA (resultantes da metabolização do ómega-3) têm efeito comprovado no controlo da sintomatologia cutânea. Desta forma, é possível reduzir a necessidade de recorrer a fármacos como corticosteroides ou de, pelo menos, reduzir a sua dose e/ou frequência de utilização. Aconselhe-se com o seu médico veterinário sobre a melhor forma de incluir estes ácidos gordos no tratamento de pele do seu animal.

 

                                                                                               Tomás Magalhães

Médico Veterinário

Published by Tomás Magalhães

Experiência Terminou o Mestrado Integrado em Medicina Veterinária pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) em 2016, tendo realizado vários estágios em Portugal e no Reino Unido. Tem-se dedicado à clínica de animais de companhia desde então, estando atualmente a conciliar essa prática com o Doutoramento em Ciências Veterinárias pela mesma universidade. Tem particular interesse pelas áreas de medicina interna, oncologia e comportamento animal. A minha relação com os cães O fascínio que tenho por esta espécie inteligente e bondosa começou bem cedo na minha vida. Desde pequeno que dizia que queria ser veterinário para poder “tratar de cães”. Hoje, felizmente, tenho a oportunidade de poder trabalhar com eles e para eles. Em casa tenho o Matias, um labrador preto, que me enche a roupa de pelo e os últimos anos de alegria por tê-lo como companhia.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *